Blog

A Revolução da Terra – Astrologia, os Maias e a Nova Era

Postado por:

Provavelmente já ouviu falar das previsões da civilização Maia sobre o final de um grande ciclo da humanidade no final de 2012. Mas já pensou que poderão ter alguma ligação com as grandes mudanças sociais a acontecer já na Terra, bem à frente dos nossos olhos e no nosso dia-a-dia?

Conhecerá seguramente a expressão “Era de Aquário”, usada por algumas correntes espirituais para designar uma alteração de paradigmas no mundo moderno. Mas já se questionou se de facto todas estas “teorias” têm algum fundamento lógico, quando efectivamente se manifestam e o que significam?

Permita-me esclarecer algumas destas questões para que possa celebrar com mais confiança e alegria esta grande revolução da Terra que começamos a viver.

1 – Segundo a Astrologia Ocidental, estamos a entrar numa nova Era?

E a resposta é SIM. Concretamente, estamos a entrar numa nova Era de cerca de 2150 anos devido ao ingresso da maior estrela real do Zodíaco Sideral – Régulus, o Coração do Leão – no sexto sector do Zodíaco Tropical, associado ao signo de Virgem. Não há consenso científico sobre o cálculo do dia exacto deste ingresso – mas unanimemente considera-se que a transição se dá entre os anos 2011 e 2012.

2 – Quão importante é esse facto e o que significa?

Do ponto de vista da Astrologia Ocidental, esse facto é de extrema importância porque a Estrela Régulus é a mais importante das 4 estrelas reais da Pérsia (associadas às grandes mudanças civilizacionais); a mais brilhante e a mais alinhada com a trajectória do Sol. Ela rege os sistemas reais, o poder e a liderança.

Ao entrar em Virgem, simbolicamente, todos os sistemas de poder “leoninos” – omnipotentes, autocráticos e de ostentação – são desafiados a ganhar humildade, organização, e verdadeiro sentido de serviço público. O poder deve ser usado doravante em prol da comunidade, de forma competente, e não em benefício de interesses pessoais.

3 – Que evidências temos dessa mudança actualmente?

São bastantes óbvias, se reflectir um pouco. No plano internacional, a queda de várias ditaduras do norte de África e Médio Oriente – incluindo o Egipto, Tunísia, Líbia, entre outros países. Igualmente, as crises da dívida nos países europeus – como Portugal – que agora são obrigados a prestar contas e reestruturar o estilo de governação.

Em geral, todas as pessoas em todos os cargos e estatutos sociais serão desafiados a conduzir a sua vida de forma mais ecológica, trabalhadora e humilde – em vez de gastarem o dinheiro que não têm ou que não conquistaram legitimamente.

Desde o máximo governante ao funcionário preguiçoso – todos serão desafiados a aprender e a trabalhar melhor. O Ego de cada um deverá dar lugar à busca de um verdadeiro sentido de utilidade e serviço perante os outros.

Portanto, dificilmente dirigentes como Alberto João Jardim e Berlusconi ou regimes totalitários poderão continuar no poder neste novo ciclo.

4 – Isto tem alguma coisa a ver com a Era de Aquário?

Tudo a ver! A estrela Régulus pode considerar-se como a principal referência simbólica para se dividir o Zodíaco Sideral – o das Constelações desiguais e, por vezes, sobrepostas – em 12 segmentos iguais. O que quer dizer que se Régulus (o início do Leão) muda de signo, por simetria, Aquário começa a tocar o eixo dos equinócios.

Em termos práticos, Aquário rege a democracia, a liberdade, as telecomunicações e a ciência. É também um signo de reivindicações e de revoltas. Se reparar, as revoluções recentes no mundo árabe foram potenciadas por esta nova estrutura social “aquariana” que está a mudar o mundo: a Internet e respectivas redes sociais.

5 – Onde entra o calendário Maia neste contexto?

O calendário Maia obedece a um conhecimento profundo dos ciclos planetários que moldam as civilizações, nomeadamente, o movimento de precessão dos equinócios (que dá origem às eras astrológicas) e os ciclos sociais de Júpiter e Saturno.

Não só estamos em transição de uma estrela de grande magnitude (ciclo civilizacional maior), como em mutação para um ciclo político de 200 anos de Terra para Ar, em que os paradigmas financeiros, materialistas e de segurança no emprego devem ser substituídos pela vertente social, cooperativa e de intercâmbio mundial.

6 – Isto quer dizer que vai acabar o mundo?

Vai acabar um mundo que conhecíamos, o que é evidente. Como também é claro que já está a nascer um novo mundo, como se constata pelo efeito globalização em que uma rede tecnológica quase gratuita – a web – permite pôr em contacto comunidades do mundo inteiro, abrindo espaço para a manifestação da individualidade num campo transnacional.

Os Maias não diziam que ia haver um “apocalipse”. Apenas que se concluía a 4ª Era da Humanidade – e mesmo este facto não é assim tão consensual.

Se interpretarmos o ‘4’ como vibração de matéria, estrutura e lentidão poderemos deduzir que se está a concluir um ciclo maia de 5 125 anos associados à forma (casa, dinheiro, segurança) e que o 5º ciclo ressoará com um novo arquétipo: de tolerância, liberdade, aprendizagem e consciência.

7 – Como viver nestes novos tempos?

Quanto mais estivermos presos ao nosso “quadrado” de conforto, seja emprego, dinheiro, preconceitos, rotinas ou raízes, e numa filosofia de pouca utilidade prática do nosso trabalho ou de pouca interacção social e internacional, mais poderemos sofrer.

Pelo contrário, quanto mais estivermos ao serviço da comunidade, de forma inteligente, voluntária e móvel, dinamizando as redes de contactos, assimilando e divulgando novos conhecimentos – através de livros, tecnologias de informação, encontros sociais, cursos e cultura – mais estaremos envolvidos neste espírito de mudança.

Em geral, é-nos pedido também que tenhamos humildade, competência, respeito e verdadeiro diálogo com o próximo – no qual se incluem também a natureza, o ambiente e o planeta.

E você, está preparado para este novo ciclo, de modo a ser um círculo em vez de um quadrado?

Artigos Relacionados:

2

Comentários

  1. Gabriel da Rocha  Setembro 12, 2013

    Quais eram os conhecimentos dos Maias sobre a astrologia ?

    responder
    • joaomed  Setembro 13, 2013

      Cara Gabriela – os conhecimentos astronómicos dos Maias eram muito vastos – o seu calendário era mais preciso que o nosso. eles davam muita importância ao planeta Venus. abço JM

      responder

Adicionar um comentário


Share This

Receba grátis o 1º Ebook da coleção Zodíaco - o Signo de Gémeos/ Brisa , ao subscrever a newsletter!

  • Conheça o Signo de Gémeos / Brisa em detalhe
  • Padrões Comportamentais
  • Características Fisionómicas
  • Os Diversos Planetas no Signo
  • A Simbologia dos 30 Graus com imagens