Blog

Astrologia Horária: a Grécia e o Euro

Postado por:

Neste artigo, exploramos até que ponto a Astrologia Horária pode ajudar a retratar a situação da Grécia em relação ao Euro após as recentes eleições que deram a vitória à esquerda radical, anti-austeridade. Em concreto, tentar-se-á perceber quais as probabilidades de saída deste país do Euro e da união monetária, voltando a uma moeda sua.

syriza

Recordamos que segundo este ramo da Astrologia , desde que haja intenção séria do astrólogo e radicalidade do mapa (sua adequação ao contexto da pergunta), é possível chegar a uma resposta muito fiável a praticamente qualquer pergunta. É uma técnica dominada por astrólogos antigos de renome, como Guido Bonatti e William Lilly. Contudo, está um pouco em desuso na era moderna.

Por isso mesmo, e porque o autor deste artigo não é perito neste tipo de abordagem astrológica, peço ao leitor que considere esta interpretação como um exercício pedagógico e de reflexão, sem pretensão de certezas definitivas. Qualquer “futuro” pode ser alterado pelos agentes intervenientes, em particular, quando dele têm conhecimento prévio.

O astrólogo colocou a pergunta no dia e poucas horas depois da vitória do partido Syriza na Grécia (concretamente, a 25 de Janeiro de 2015 às 20h35, em Lisboa). A pergunta foi a seguinte: “Será que a Grécia vai sair do Euro?”.

grecia_euro

Confesso que este mapa é de uma grande complexidade por várias razões. É um mapa horário “Mundano”, ou seja, de um assunto mundial ou internacional e que apenas muito indiretamente afeta a pessoa que colocou a pergunta. Portanto, seria de esperar uma radicalidade (adequação ao contexto) e “interpretabilidade” reduzidas.

Contudo, o mapa denota uma série de informações que o tornam suficientemente adequado à interpretação da questão, uma vez que reflete como um espelho elementos essenciais do contexto. Então, avancemos.

 

Teoricamente, quando fazemos a pergunta sobre um país estrangeiro deveremos representá-lo diretamente como o planeta regente da Casa 9 (o estrangeiro e o lado internacional). Porém, a Grécia é um país dentro da União Europeia e este factor é relevante no contexto da pergunta e, portanto, a própria UE pode ser representada pelo regente da Casa 9 (instituição internacional) sendo a Grécia outro astro a ele associado de alguma forma.

Caso a pergunta tenha sido “O que vai acontecer ao meu país e governo, Portugal, com o desenrolar da situação na Grécia?” então o mapa teria que ser abordado de outro ângulo. Porém, a pergunta é especificamente dirigida à saída ou não da Grécia da zona Euro (e não tanto das consequências para outros países).

Após análise do mapa (não ainda exaustiva, confesso) as seguintes conclusões parecem-me evidentes:

A União Europeia é representada por Vénus, por várias razões: é regente da Casa 9 (estrangeiro e instituições); está a 27º47 de Aquário, ou seja, no grau 28 deste signo – a que correspondem os 28 países (graus) que fazem parte da UE no momento da pergunta; está no signo de Aquário, o mais indicado símbolo/ signo para uma associação democrática de países; a designação “União” é um conceito de Vénus;  22 graus atrás de Vénus (conjunção simbólica com o Sol) correspondem ao ano 1993, de entrada em vigor do Tratado de Maastricht;  58 graus atrás de Vénus, correspondem ao grau 0 de Capricórnio que poderemos associar ao ano 58 antes de 2015 que é 1957 – o ano da formalização (Capricórnio) da Comunidade Económica Europeia com o Tratado de Roma; está na Casa 10 derivada da Casa 9, associada a entidades diretivas/ governos.

O Euro – a moeda única – é representada por Mercúrio, por inúmeras razões: é o regente da Casa 10 natal, que é a Casa 2 derivada da 9 (dinheiro/ moeda da Casa 9 – União Europeia); está a 15º24 de Aquário e retrógrado, ou seja, entre 15 e 16 graus  – sendo que o Euro nasceu para os mercados financeiros em 1999 (há 16 anos/ graus) a substituir o ECU; entrou formalmente em circulação há 13 anos, em 2002,  e a distância a Vénus (regente da UE) é de 12º30 (entre 12 e 13 graus); está retrógrado e lento, o que indica uma sensação de “arrependimento” e dificuldade na sua existência; está afastar-se a 3 graus da oposição de Júpiter e do sextil com a Lua, o que sugere os 3 anos de explosão das dívidas soberanas; caminha para a combustão, o que indica que se tem desvalorizado.

A Grécia será assim representada pelo Sol, pelos seguintes argumentos: está a 5º32′ de Aquário e, portanto, em exílio (situação de aflição) e há cerca de 5 a 6 unidades de tempo (o que corresponde a 2009-2010 – início da sua crise financeira e da austeridade, com entrada do FMI); já assumiu por 5 vezes a Presidência do Conselho da UE; 35 a 36 graus atrás correspondem simbolicamente ao grau zero de Capricórnio e a 1979, ano em que este país assinou formalmente a entrada na UE; o Sol em Aquário, único astro exilado, corresponde ao estatuto de “ovelha negra” deste país nos últimos anos, no contexto da UE, atendendo às fraudes a que foi associado; o Sol rege a casa radical 12 (os que estão “presos” e “desempregados”) que é a 4 derivada da Casa 9, representando o “o povo” da Casa 9 (UE) ou seja, as suas bases democráticas.

grecia solidaria

Outros detalhes interessantes: Saturno a 3 graus de Sagitário, corresponderá provavelmente ao partido Syriza (criado como aliança formalmente em 2012, há 3 anos) que agora irá assumir poder (e no signo de exílio de Mercúrio, que representa o Euro); Júpiter ou a Lua corresponderão aos 19 países da UE que constituem a Zona Euro, uma vez que estão ambos no grau 19 (em signos diferentes) – sendo natural que Júpiter corresponda à Zona Euro enquanto território, força, dirigentes e culturas  (e as classes ou países mais ricos) e a Lua à população (e as classes ou países mais pobres). Ambos estão em Dignidades do Sol – e isto sugere uma grande vontade destes países para que a Grécia continue a fazer parte do Euro, contribuindo com grandes esforços para que isso aconteça.

Resta saber o que representará Marte – provavelmente outros países candidatos à entrada na UE (uma vez que Marte está na Exaltação de Vénus, representante da UE).

 

Então , respondendo à questão o que poderemos depreender? Será que a Grécia volta a ter uma moeda sua e sai do Euro ou não?

Atendendo a que o próximo aspeto de Mercúrio (o Euro) – que está retrógrado (o que de si já significa a hipótese de “voltar atrás”)-  é a conjunção com o Sol (a Grécia) a tradicional “combustão” mas num signo de Exílio do Sol, e a 9/ 10 graus de distância, isto aponta para:

– uma depreciação / desvalorização do Euro nos próximos anos (Euro sob os raios do Sol e a caminhar dentro de 2/3 graus ou 2 a 3 anos para o princípio do processo de combustão, que por sua vez se irá completar durante os 8 anos imediatamente seguintes);

– que a Grécia provavelmente voltará a adoptar uma moeda sua ou reestruturando totalmente a sua posição na Zona Euro – uma vez que o Sol apanha Mercúrio , “queimando-o/ destruindo-o”, mas não no curto prazo – mais adequadamente de 9 a 10 anos a partir de agora (ou seja, aproximadamente em 2024/ 2025) ainda que seja mais plausível a metade desta distância (uma vez que os astros se dirigem um para o outro) o que corresponderia aos anos 2019/2020.

Outras considerações interessantes e que condicionam esta conclusão prendem-se com a proximidade de Vénus do seu signo de Exaltação – Peixes (a cerca de 2/3 graus)  que sugere, apesar deste cenário, uma hipótese de melhoria considerável do ideal de União Europeia e dos princípios de solidariedade, com entrada de mais 2 a 3 membros ou com o trabalho conjunto de mais 2/3 anos (isto é, até 2017-2018 altura em que essa melhoria se tornaria mais evidente).

No geral, a posição em signos fixos dos significadores principais também aponta para resoluções lentas destas situações.

Portanto, genericamente, segundo esta análise a posição do Euro com Grécia (união monetária com Grécia incluída) estará muitíssimo desafiada com tendência a piorar nos próximos anos, com os momentos mais críticos ou terminais daqui a 9/10 anos ou daqui a 5 anos, ou seja, no início de 2020 (fim de 2019), sendo este o tempo último o tempo mais adequado para a saída final, seguindo as regras tradicionais (5 graus – o número de graus simbolicamente equivalente a anos, para o astro mais rápido, Mercúrio, chegar à combustão exata) .

Mas, curiosamente, haverá muita vontade da Zona Euro em “salvar ou perdoar” a dívida grega  (Júpiter e Lua contribuem para o Sol, mesmo que aflitos e sob tensão – casas 12 e 8 radicais) e também é sugerido que os ideais políticos e de solidariedade da UE tenderão a melhorar bastante, antes de uma situação mais aflitiva e de saída deste país da Zona Euro – o cenário realmente mais provável no médio prazo.

Esperemos que tenha gostado deste exercício interpretativo de Astrologia Horária que, tal como dissemos, deve ser encarado de forma aberta e não definitiva. Encorajamos também que nos envie comentários- sejam astrológicos ou não -em relação a este mapa horário, para completar a interpretação.

Um abraço

João Medeiros

Lisboa, 26 Janeiro 2015

Próximos Eventos:

27 Fev. a 1 Mar. 2015: Nível 1 – Astrologia 

FDA-LOGO

13 a 15 Mar.: Astrologia Tradicional: Eletiva, Horária e Mundana

AstrologiaTradicionalFinal

20 a 22 Mar.: Simpósio Luso-Brasileiro de Astrologia

simposio


 

Artigos Relacionados:

2

Comentários

  1. Costinha  Julho 14, 2015

    Gostei do interessante texto o qual acredito nesses acontecimentos. Agora, gostaria sr. João, de saber o que poderá vira acontecer a nós (analisando com a ajuda da astrologia) caso a Grécia verdadeiramente saia….

    responder
    • joaomed  Julho 14, 2015

      Caro Costinha, é uma excelente pergunta que certamente será alvo de próximas investigações. Obgd JM

      responder

Adicionar um comentário


Share This

Receba grátis o 1º Ebook da coleção Zodíaco - o Signo de Gémeos/ Brisa , ao subscrever a newsletter!

  • Conheça o Signo de Gémeos / Brisa em detalhe
  • Padrões Comportamentais
  • Características Fisionómicas
  • Os Diversos Planetas no Signo
  • A Simbologia dos 30 Graus com imagens